Anthrax – Among The Living (1987)

Anthrax-Among_The_Living-Frontal

 

Antes mesmo de ter maior contando com o Thrash Metal puro dos primórdios do Metallica, que foi a primeira banda do gênero que escutei, acabei ouvindo a uma banda nada modesta que era o grupo Anthrax com o trabalho State of Euphoria de 1988, principalmente pela faixa Antisocial, nunca indo além na banda, numa noite agradável assistia a minha pessoa ao programa “That Metal Show” no qual o álbum foi citado como o melhor trabalho da banda e um dos melhores do Trash Metal e minha curiosidade foi imensa.

Anthrax consideradas como uma das fundadoras da vibe Thrash Metal, lançou em 1984 Fistful of Metal com pequenos traços do que aquela nova sonoridade estava a se propor, mas com os vocais mais agudos de Neil Turbin toda aquela sonoridade ainda parecia algo como Judas Priest e de certa forma o gênero ainda não possuía forma definida e tudo soava ainda algo como o Speed Metal; em 85 vieram com Spreading the Disease com uma bateria que rasgava seus ouvidos e riff mais pesados e com tempos espaçados, o distanciamento do Speed era claro e ouvível emplacando de cara com Madhouse como um sucesso absoluto! o Trash Metal mostrava a face nua crua pelas primeiras vezes trazido pela entrada de Joey Belladona (Será que é parente da atriz pornô?). “É importante também citar que em Spreading The Disease as letras típicas que viriam a fazer parte do Thrash americano começaram a se intensificar com relação ao álbum anterior”

Quase dois anos sem notícias da então vibrante banda Anthrax mas enfim quebrando o silêncio eles,como um taco de basebol que atravessa uma vidraça da alguma loja como em ato de revolta surge Among The Living, assim como minha descrição acima um disco agressivo! os primeiros 10 segundos de álbum já chegam para perturbar mas aos 14 segundos quando a bateria entra e a guitarra aumenta gradativamente sua ferocidade na faixa de entrada homônima ao álbum é horrendamente brilhante, não há estrutura que se segura a tal potencialidade que é a música realizada nesta obra; nada mais se parece com o Speed Metal de Fistful, ou nem mesmo um Trash mais “quieto” de Spreading é a essência de toda porradaria que o estilo tem a oferecer, com uma voz de certa forma controla em seus gritos mais agudos Joey conduz Among the living de maneira não pertencente ao mundo dos vivos! O disco acaba se tornando uma aura “entre os viventes”. Esta peça única do Anthrax não só carregou boa parte do Trash Metal junto com bons concorrentes como Kill Em’ All como influenciou bastante a cena daquele momento em diante até o Metallica lançasse seu Black Album que trouxe uma nova leitura ao gênero e apesar de depois do Black’  o Anthrax ter sentido o “baque” que ouve ao Thrash e feito algo como o Sound of White Noise se distanciando de algo que ajudou a moldar a memoria deste ainda permanecia viva; o disco ainda apresenta letras características e até referencias a cultura pop, Among The Living continuou a causar peso na cena e até hoje pode ser considerado o melhor trabalho da banda pelo simples fato da coerência e desejo do universo, é para se estar em um top 10 do gênero com certeza então…

Aumenta o som ai:

 

By Luis Felipe

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Artigo, Resenha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s