TOP 10 – Os Melhores Álbuns de Heavy Metal 1/2

PARTE 01 (01-05)

Alguns preferem apoiar o conceito de que o Heavy Metal não tem variantes; ele é único e assim seguirá – sendo, então, aquilo o que grupos como Black Sabbath e Judas Priest naturalmente nos ofereceram; ou seja, o som de raiz. Sendo assim, esses preferem apoiar a ideia de que estilos como o Thrash Metal, por exemplo, não são vertentes do Heavy Metal; são vertentes do Metal – de onde saiu o Heavy Metal, o que faz deste também uma vertente. Porém, faço parte do grupo que defende a tese de que tudo isso é Heavy Metal, só que sob perspectivas diferentes. Assim como o Rock n’ roll não é necessariamente um subgênero, mas também pode ser englobado como um estilo aderido por todas as vertentes do Rock. A lista a seguir é um top pessoal que engloba o Metal em geral; em suma: o Heavy Metal. Os melhores álbuns do gênero. Conectem o fone de ouvido e concentrem-se.

1 – Megadeth – Rust in Peace (1990)

Megadeth é uma banda de discografia mais que sólida. Tem ótimos álbuns e dois destes que são obras-primas; um deles: Rust in Peace. Aliás, chamar Rust in Peace de “obra-prima” é algo muito humilde; este disco é fantástico, o melhor registro de seu gênero. Mustaine intimista, político, lúcido, furioso; tudo isso aqui, nesta bela obra de arte que, além de definir o que é de fato um headbanger, nos deixa espaço para uma série de reflexões regadas a um ataque de diversão. Perfeito.

2 – Metallica – Master of Puppets (1986)

Não adianta; o Metallica é uma puta banda. É verdade que a atual fase do caras é bastante discutível; porém, o passado não pode, jamais ser apagado. O melhor álbum do Metallica e o seu melhor momento: é o que Master of Puppets é. É a junção da velocidade e da técnica, respectivamente, dos dois álbuns anteriores. E bem-sucedida, diga-se de passagem. É energético, melódico e, acima de tudo, headbanger. Convenhamos: um álbum que pega os melhores elementos de duas obras-primas não poderia ser menos que uma coisa espetacular. O terceiro álbum do Metallica.

3 – Type O Negative – Slow, Deep and Hard (1991)

O debut do Type O Negative com certeza está na história da música. Sim, pois somente os grandes conseguem abrir toda uma história de determinado grupo/artista com a roupagem de uma obra-prima arrebentadora. Maduro como só ele, praticamente é impossível rotulá-lo. Ora soa como um alucinado Thrash Metal; ora como um Death Metal; ora como Doom Metal. No final das contas, percebemos que é muito mais que um mero rótulo de uma afluente do Metal; é o Metal sendo respeitado com uma monstruosa noção músical, e criado por um punhado de ideias geniais. Alucinante e visceral.

4 – Iron Maiden – Iron Maiden (1980)

Apesar de ser o primeiro álbum do Iron Maiden, já nasceu como sendo uma reunião de tudo o que a banda sempre teve de melhor, tanto para antes como para depois. Alucinado e viciante do início ao fim. Já conquista de primeira e não nos deixa dúvida acerca de seu nível qualitativo.

5 – Black Sabbath – Paranoid (1970)

Falar bem do Black Sabbath e o Paranoid, considerado por muitos ser a sua obra máxima (inclusive por mim), é chover no molhado. Mas não adianta; não trata-se de modismo e nem nada. O tempo provou que esta obra é, de fato, algo transcendental.

Victor Ramos

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Top

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s